domingo, 30 de agosto de 2015

DIREÇÃO





Por muito tempo a cidade foi o lugar mais seguro da terra, ainda que todas as estações oferecessem suas secas e colheitas, era o melhor lugar para voltar...
Ali nasceram pessoas, as lágrimas e gargalhadas fundiam-se num impressionante balé de cores e músicas! Tudo parecia tão LAR.
Não se costurava em seu coração nenhum outro retalho, sentia-se vestida e desnuda com a mesma liberdade, podia falar da eternidade e de sua humanidade com as mesmas pessoas sem vê-las afetadas em admiração e escárnio (claro, com algumas pessoas...)
Era seu lugar!
Ninguém sabe ao certo quando o vento soprou para outra direção, mas ela soube com o passar dos dias...
Seu rosto ousou olhar para as bandas do azul em movimento e uma imagem turva foi alinhando-se devagar, entre ondas e barquinhos, a imagem foi ficando alta e cada vez mais próxima...
Sem dúvida, era hora de asas de pomba.
O terreno seguro de outrora tomou novos sabores e as histórias guardadas, trancadas em ética e compaixão vão sendo esquecidas por seus protagonistas!!! Como seria se a caixa se abrisse e jogasse fora tudo o que guarda??? Não será, por compromisso, por decisão, por seriedade!
Enfim...
Uma névoa atrativa, quase misteriosa e profundamente válida, por onde se mergulha e vai desaparecendo lentamente...
Um novo capítulo.


Por Ariadna de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário