quinta-feira, 11 de junho de 2015

RUAS

         
       
   
Nessas ruas intensas 
Cheias de gente e de cor,
Encontro histórias imensas
De luta, de perdas, de amor.

Encontro a mulher que vagueia
Vendendo um pouco de pó,
O homem que a rodeia
Correndo do "estar só".

Vejo cenas diversas
Do lixo que alimenta,
Lama, gritos, silêncio,
A luta em vestimenta.

Se por RUAS assim 
Andou meu Cristo a falar 
Quem sou eu, Seu amante 
Para de tais me ausentar?

Um comentário: